Matão, a Terra da Saudade, tem em sua história a marca do empenho e do interesse dos seus munícipes pela educação desde a sua origem, datada do final do século XIX. 

Distrito criado no município de Araraquara com a denominação de Matão, de acordo com a Lei Estadual n. 499, de 07 de maio de 1897 , foi elevado à categoria de município no ano seguinte pela Lei Estadual n. 567, data de 27 de agosto . 

De acordo com o último censo realizado no país, Matão atualmente possui uma população de 76.786 habitantes distribuídos numa área de aproximadamente 525 quilômetros quadrados , e está distante cerca de 310 quilômetros da capital paulista. Apesar de ser considerada uma cidade de médio porte, trata-se economicamente de um dos mais importantes municípios da Região Central do Estado de São Paulo, conforme apontam os dados da Tabela 1. 

Tabela 1: Dados econômicos de municípios escolhidos  da Região Central do Estado de São Paulo, ano de 2011, em milhares de reais 

Município VA da Agropecuária VA da Indústria VA dos Serviços PIB
Araraquara 56.969 900.567 2.486.778 3.924.434
Dobrada 6.581 11.338 34.734 55.956
Gavião Peixoto 20.896 17.229 30.425 74.099
Ibaté 37.107 72.924 177.116 312.336
Itápolis 124.593 84.438 344.225 599.204
Jaboticabal 56.617 321.266 742.213 1.250.167
Matão 48.346 3.215.126 1.324.329 5.164.585
Monte Alto 40.516 251.830 404.882 795.817
Nova Europa 8.856 28.102 54.546 101.199
Rincão 15.695 8.769 54.398 83.473
Santa Ernestina 4.652 3.872 27.052 37.275
São Carlos 57.870 1.094.833 2.230.953 3.912.665
Taquaritinga 66.185 72.639 408.880 590.827

Fonte: IBGE. Disponível em http://www.ibge.gov.br (2015).

O desempenho desse município deve-se à existência de indústrias de pequeno, médio e grande porte no setor metalomecânico e agroindustrial. A maior parte dessas empresas está ligada ao agronegócio, que teve grande crescimento a partir da década de 1970. Além disso, o município e a região estão associados às duas mais importantes culturas agrícolas de São Paulo e do Brasil: a canavieira e a citrícola. Um forte sinalizador do crescimento sustentável desse agronegócio é a consolidação dos automóveis bicombustíveis e o crescimento mundial da adição do álcool à gasolina, devido à grande elevação nos preços do petróleo.

No início da década de 1980, o município de Matão possuía uma população de 38.125  habitantes (19.694 homens, 18.431 mulheres) e a base da sua economia estava pautada, sobretudo no seu emergente parque industrial, conforme mostra a Tabela 2:

Tabela 2 – Indústrias – Município de Matão– 1980

Gêneros de Indústria Estabeleci­mentos Pessoal ocupado em 31/12/1980 Ano de 1980
Total Ligado à produção Média mensal do pessoal ocupado
Total 77 6.020 5.598 5.804
Transformação de produtos de minerais não-metálicos 4 24 12 27
Metalurgia 13 675 617 608
Mecânica 10 2.351 2.251 2.345
Material elétrico e de comunicações 1 (X) (X) (X)
Material de transporte 2 (X) (X) (X)
Madeira 6 129 120 128
Mobiliário 1 (X) (X) (X)
Borracha 1 (X) (X) (X)
Química 3 80 76 54
Perfumaria, sabores e velas 1 (X) (X) (X)
Vestuário, calçados e artefatos de tecidos 8 948 877 931
Produtos alimentares 19 1.088 1.047 1.029
Editorial e gráfica 4 51 36 48
Diversas 3 46 45 51

FONTE: IX Recenseamento Geral do Brasil - 1980 (IBGE, 1982). Tabela 2: Dados gerais das atividades industriais, segundo microrregiões, municípios e gêneros de indústria (fragmento).

Dessa forma, podemos verificar que este município já se destacava economicamente na microrregião de Araraquara, de acordo com a Tabela 3:

TABELA 3: Atividades Industriais – Microrregião de Araraquara (1980)

Município Estabeleci­men­tos Pessoal Ocupado em 31-12-1980 Valor da Produção (mil cruzeiros)
Américo Brasiliense 34 1.095 3.999.140
Araraquara 252 8.285 27.431.796
Boa Esperança do Sul 10 99 338.605
Borborema 26 173 220.218
Descalvado 75 1.529 2.989.007
Dobrada 6 115 404.233
Dourado 22 184 113.937
Ibaté 19 1.001 2.058.817
Ibitinga 205 1.184 765.580
Itápolis 77 509 1.292.346
Matão 77 6.020 16.821.552
Nova Europa 6 172 405.028
Ribeirão Bonito 21 860 382.554
Rincão 40 197 90.898
Santa Lúcia 6 41 23.897
São Carlos 341 15.965 27.739.208
Tabatinga 22 156 105.528

FONTE: IX Recenseamento Geral do Brasil - 1980 (IBGE, 1982). Tabela 2: Dados gerais das atividades industriais, segundo microrregiões, municípios e gêneros de indústria (fragmento).

A partir de uma análise preliminar com base nos dados apresentados, podemos concluir que a implantação de um estabelecimento de ensino profissional em Matão tratava-se de uma necessidade premente, para atender a demanda crescente no setor industrial. Nesse contexto, a Escola Técnica Sylvio de Mattos Carvalho foi criada em 03 de junho de 1986 pelo Decreto Estadual n. 25.326 , denominada Escola Técnica Estadual de 2º Grau de Matão. O jornal A Comarca noticiou este fato:

Trata-se de uma Escola diferente, de cunho profissionalizante. Através desse estabelecimento de ensino, serão formados os profissionais de amanhã. [...] nada melhor do que formar a mão-de-obra na cidade de origem, sem a necessidade de se deslocar a outros municípios. (A COMARCA, 1986, n. 3.283).

De fato, a notícia repercutiu positivamente por toda a cidade, pois segundo o Prefeito da época, em entrevista a esse jornal, tratava-se de uma “reivindicação de mais de 30 anos”. 
O Decreto, assinado pelo então Governador do Estado, o sr. Franco Montoro, tem a seguinte redação:

Franco Montoro, governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, com fundamento no artigo 89, da Lei n. 9.717, de 30 de janeiro de 1967, e considerando o que dispõem os Decretos n. 2.957, de 04 de dezembro de 1.973, e 23.544, de 10 de junho de 1985, DECRETA:
Artigo 1º - É criada, na estrutura da Divisão de Supervisão a Apoio às Escolas Técnicas Estaduais, da Secretaria da Educação, a Escola Técnica Estadual de 2º Grau de Matão, no Município de Matão.
Artigo 2º - O Secretário de Educação autorizará a instalação da escola que trata o artigo e fixará o número de classes de 1ª a 3ª séries do 2º Grau.
Artigo 3º - O Secretário da Educação designará o pessoal técnico e administrativo mínimo necessário ao funcionamento da unidade ora criada, segundo os critérios estabelecidos pelos Decretos n. 7.709, de 18 de março de 1976, e 11.555, de 04 de julho de 1978.
Artigo 4º - Nos casos em que se fizer necessário provimento de cargos ou preenchimento de funções-atividades, deverão ser obedecidas as normas constantes dos Decretos n. 21.871 e 21.872, de 06 de janeiro de 1984.
Artigo 5º - As despesas decorrentes da execução deste Decreto correrão à conta das dotações consignadas no orçamento programa vigente.
Palácio dos Bandeirantes, aos 03 de junho de 1986.
FRANCO MONTORO – Governador
(DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO, 04 de junho de 1986, p. 2).

No ano seguinte, com a Lei n. 5.542 , de 20 de janeiro, a escola recebeu o nome de seu patrono: o Prof. Dr. Sylvio de Mattos Carvalho, importante personagem da história de Matão e primeiro Diretor do Ginásio Municipal, nos seguintes termos:

Artigo 1º - Passa a denominar-se “Prof. Dr. Sylvio de Mattos Carvalho” a Escola Técnica Estadual de 2º Grau de Matão, em Matão.
Artigo 2º - Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.
(SÃO PAULO, 1987).

Os primeiros cursos oferecidos foram das Habilitações Profissionais Plenas de Mecânica , Eletrônica e Eletrotécnica  com duração de 04 (quatro) anos, além de outros cursos pré-profissionalizantes, de acordo com o jornal:

As salas de aula passam por reforma. Já o grande salão destinado a instalação de equipamentos para “Habilitação de Técnico em Mecânica”, a nível de 2º grau, qualificação profissional I e II e cursos pré-profissionalizantes de mecânica, corte e costura, eletricidade e marcenaria, encontram-se em fase de conclusão, carecendo de cobertura, o que ocorrerá até o final deste mês. (A COMARCA, 1987, n. 3.319)

O prefeito da época justificou o porquê da criação deste estabelecimento na cidade:

[...] estamos agora pagando uma dívida para com Matão, que carecia de uma escola dessa natureza. Os jovens eram obrigados a viajar a outras cidades à procura da profissionalização ou se acomodavam por aqui mesmo, partindo para profissões não especializadas. As indústrias, por sua vez poderão utilizar a força de trabalho da cidade. Os nossos industriais estão dando a sua valiosa colaboração, pois entenderam a importância da empreitada. (A COMARCA, 1987, n. 3.319)

A partir de então, com o apoio do empresariado local, a escola recém-instalada começou a ganhar notoriedade diante da sua comunidade.

Em 1994, por decisão do Governo do Estado a referida DISAETE – Divisão de Supervisão a Apoio às Escolas Técnicas Estaduais – foi extinta e todas as 82 Escolas Técnicas da extinta secretaria passaram a ser administradas pelo Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, referência em educação profissional na América Latina.


OS PRIMEIROS ANOS...

Sob a direção do sr. Luiz Manoel Frattini, o primeiro curso oferecido, como já mencionado, foi o de Técnico em Mecânica:

Artigo 1º - Fica autorizada a instalação, a partir de 09/02/1987, da Habilitação Profissional Plena de Mecânica na ETESG “Prof. Dr. Sylvio de Mattos Carvalho” (DOE, 14 de março de 1987, p. 8).

Também foram autorizadas as Habilitações Plenas de Técnico em Eletrônica e Técnico em Eletrotécnica com duração de 04 anos.

Nos anos seguintes dirigiram essa Unidade Escolar: Antonio Lourenço Custódio, Maria da Glória Rocha Pirola, Miguel de Luna, Ivone Ferioli Nunes e Antonio Pinto do Nascimento Neto. Atualmente esta Unidade tem como diretor o Prof. Me. Carlos Alberto Diniz, docente desta Unidade Escolar desde outubro de 2003.

AS HABILITAÇÕES TÉCNICAS, O ENSINO MÉDIO E A ETEC HOJE

No ano de 1997, o Decreto Federal n. 2.208 dava uma nova configuração ao currículo da educação profissional, separando-a do ensino médio:

Art. 5º - A educação profissional de nível técnico terá organização curricular própria e independente do ensino médio, podendo ser oferecida de forma concomitante ou seqüencial a esse. (BRASIL, 1997) 

Com base nisso, o Centro Paula Souza começou a adaptar seus cursos para atender à nova exigência. De acordo com Araújo (2001), tais adequações foram definidas em dois momentos, sendo que:

[...] a primeira mudança teve como características a estruturação dos cursos em módulos, a definição de qualificações e certificações intermediárias em cada itinerário de formação técnica e a exigência mínima de matrícula na 2ª série do ensino médio. (ARAÚJO, 2001, p. 212)

O segundo momento previu “a redefinição dos perfis de conclusão de cada qualificação e habilitação técnica e a definição das competências e habilidades relativas a esses perfis” (2001, p. 212-213).

A partir de então, na Etec Sylvio de Mattos Carvalho, os cursos técnicos de Eletrônica, Mecânica e Eletrotécnica passaram a ser oferecidos em módulos semestrais, bem como àqueles que foram incorporados nesse estabelecimento a partir de então: Eletromecânica, Auxiliar de Enfermagem e Processamento de Dados. Além disso, começaram a ser efetuadas matrículas para o ensino médio. 

O curso de Técnico em Eletromecânica foi extinto no ano de 2000. Já o Técnico em Processamento de Dados gradativamente foi sendo substituído a partir de 1999 pelo Técnico em Informática, oferecido até os dias atuais concomitantemente com o Técnico em Informática para Internet.

A habilitação de Técnico em Eletrotécnica que até 1999 era oferecida em 04 anos (juntamente com o Ensino Médio) viu-se ofertada a partir do 1º semestre de 2000 em 03 módulos semestrais, e posteriormente extinto no primeiro semestre de 2005.

Vale considerar também a existência, ainda que efêmera de duas outras habilitações da área da indústria: a de Técnico em Eletroeletrônica, cujas atividades se iniciaram no 1º semestre de 2001, estendendo-se até o 2º semestre do ano de 2004; e a de Técnico em Desenho de Projetos de Mecânica, oferecida no ano de 2000 até o 1º semestre do ano seguinte, e a partir do 2º semestre do ano de 2003 até o final do exercício letivo de 2004.

As habilitações de Técnico em Mecânica e Técnico em Eletrônica, pioneiras na história desta Escola, tiveram suas grades curriculares organizadas em 03 módulos semestrais entre os anos de 1997 a 2009. Em 2010, a partir de uma reformulação em sua estrutura, passaram a ser oferecidos em 04 módulos, ou seja, com dois anos de duração para sua conclusão.

Não podemos ainda nos esquecer de outras habilitações que tem a sua marca registrada na história da nossa escola. Na área da Saúde, a habilitação do Técnico em Enfermagem, oferecida inicialmente como Habilitação Profissional Parcial de Auxiliar de Enfermagem, iniciou suas atividades no ano de 1997, no formato de curso modular (03 semestres). Em 1998, no entanto, tal curso é oferecido em apenas 02 módulos com o perfil de Qualificação Profissional de Auxiliar de Enfermagem até o 1º semestre de 2002. No semestre seguinte é incorporado o 3º Módulo e subsequentemente o 4º Módulo, conferindo-lhe a partir de então a habilitação reconhecida por Técnico em Enfermagem, até os dias atuais.

Na área da indústria, hoje denominado de Eixo Tecnológico Controle e Processos Industriais, iniciou em 2004 o curso Técnico em Mecatrônica, em grade curricular de 03 módulos, mas que, a exemplo das habilitações de Mecânica e Eletrônica, também teve sua grade curricular reconfigurada em 04 semestres.

Os anos passaram, a tecnologia evoluiu, e com isso foi necessária a atualização do currículo do ensino profissional. Nesse contexto, o Centro Paula Souza, em sintonia com os novos desafios impostos pela realidade global, ampliou (e vem ampliando continuadamente) sua gama de cursos a partir da inserção de novas habilitações técnicas. Dentre essas, na Etec Sylvio de Mattos Carvalho passaram a ser oferecidos o Curso Técnico em Administração Empresarial, na modalidade semipresencial a partir de 2010, além do Curso Técnico em Informática para Internet.

Evidentemente que não podemos deixar de mencionar a modalidade de ensino que inicialmente permeou as primeiras habilitações técnicas da nossa Unidade Escolar, formando as primeiras turmas de alunos, e que desde 1999 ganhou seu espaço, delineando constantemente sua trajetória nesse estabelecimento de ensino: o Ensino Médio.

A presença do Ensino Médio fortalece o Ensino Técnico, pois vários alunos cursam ambas as modalidades de ensino, assegurando uma formação propedêutica vislumbrando o ensino superior, mas também a profissionalização tão necessária nos dias de hoje.

Por fim, destacamos que nesse ano letivo de 2016 estão sendo oferecidos, além do Ensino Médio, as seguintes habilitações profissionais para atender a demanda crescente dos segmentos produtivos locais e/ou regionais: Técnico em Administração (Telecurso TEC); Técnico em Eletrotécnica; Técnico em Enfermagem; Técnico em Finanças; Técnico em Informática; Técnico em Informática para Internet; Técnico para Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio; Técnico em Mecânica; Técnico em Mecatrônica; Técnico em Mecatrônica Integrado ao Ensino Médio e Técnico em Recursos Humanos, este último na Classe Descentralizada no Município de Santa Ernestina.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

No município de Matão a Etec Sylvio de Mattos Carvalho, desde meados da década de 1980 até os dias atuais tem desempenhado um papel fundamental na formação de profissionais de nível técnico, a partir de currículos atualizados periodicamente pelo Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, em observância à legislação educacional vigente e às inovações e necessidades do mercado nacional e internacional.

Desse modo, a presença da referida Unidade Escolar tem contribuído para o crescimento socioeconômico local e regional e, nesse sentido, lhe é atribuída uma representação de escola de qualidade, pautada pelos princípios da cidadania. Tal representação social pode ser verificada, sobretudo, a partir da sua inserção e participação na vida da comunidade local.

FONTES

SÃO PAULO. Lei Estadual n. 499, de 07 de maio de 1897. Diario Official do Estado de São Paulo. p. 1, n. 1.719, 16 de maio de 1897.

SÃO PAULO. Lei Estadual n. 567, data de 27 de agosto. Diario Official do Estado de São Paulo, p. 1, n. 2.080, 03 de setembro de 1898.

IBGE. Censo 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1

IBGE. IX Recenseamento Geral do Brasil – 1980. Censo Demográfico: dados distritais. v. 1, tomo 3, n. 17, p. 34. Disponível em http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/CD1980/CD_1980_Dados_Distritais_SP.pdf.

IBGE. IX Recenseamento Geral do Brasil – 1980. Censo Industrial: dados gerais. v. 3, tomo 2, parte 1, n. 19, p. 71-73. Disponível em:

http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/censoindustrial/Censo%20Industrial_1980_SP_DadosGerais.pdf

SÃO PAULO. Decreto Estadual n. 25.326, de 03 de junho de 1986. Diário Oficial do Estado de São Paulo. p. 2, v. 96, n. 103, 04 de junho de 1986.

SÃO PAULO. Lei n. 5.542, de 20 de janeiro de 1987. Diário Oficial do Estado de São Paulo. p. 2, v. 97, n. 13, 21 de janeiro de 1987.

SÃO PAULO. Autorização de instalação, a partir de 09/02/1987, da Habilitação Profissional Plena de Mecânica na ETESG “Prof. Dr. Sylvio de Mattos Carvalho”. Diário Oficial do Estado de São Paulo. p. 8, v. 97, n. 49, 14 de março de 1987.

BRASIL. Decreto Federal n. 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei Federal n. 9.394/96 que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, 1997.


REFERÊNCIAS:

ARAÚJO, A. M. Mudanças curriculares no ensino técnico de São Paulo. Estudos Avançados. São Paulo: USP, n. 42, p. 209-216, 2011.

CAPELATO, M. H. O Estado Novo: o que trouxe de novo. O tempo do nacional-estatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, Coleção O Brasil Republicano, v. 2, 3. ed., 2010.

FREITAG, B. Escola, Estado e sociedade. 4. Ed. Coleção Educação Universitária. São Paulo: Editora Moraes, 1980.

MOREIRA, V. M. L. Os anos JK: industrialização e modelo oligárquico de desenvolvimento rural. O tempo da experiência democrática: da democratização de 1945 ao golpe civil-militar de 1964. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, Coleção O Brasil Republicano, v. 3, 2. ed., 2008.

RAMOS, I. M. L. et al. Formação pedagógica para docentes da educação profissional. São Paulo: Centro Paula Souza, 2007.